5 passos para implementar o uso do Big Data com eficiência

12/04/2018

A tecnologia ganhou um papel estratégico dentro de vários setores empresariais. Recursos de TI foram, de maneira progressiva, integrados ao am6biente corporativo, criando negócios mais competitivos e eficazes — seja reduzindo erros ou custos operacionais. Além disso, novas técnicas permitiram o aumento da inovação nesse território, por meio da flexibilização e o melhor direcionamento de processos.

Esse é o caso de soluções baseadas na nuvem, da Internet das Coisas e outras tendências da Tecnologia da Informação, como o Big Data. Essa última, em específico, tem revolucionado a forma como companhias criam estratégias de mercado, avaliam a recepção de seus produtos e identificam tendências.

O Big Data passou a permitir que um número maior de registros fosse utilizado nos processos de análise de dados. Assim, a empresa pode maximizar a eficiência dos seus métodos, reduzir custos e encontrar novas formas de atender às necessidades do seu público-alvo.

Se você já conhece essa tecnologia e quer saber como implementar o uso do Big Data no seu ambiente de trabalho, veja as nossas dicas abaixo:

1. Defina objetivos claros na hora da implementação

Para que a análise de dados possa atingir os objetivos esperados, é muito importante que a empresa tenha propósitos claros. O direcionamento desse diagnóstico sempre dependerá das metas do analista. Esse é um fator que modifica a forma como as informações são coletadas, filtradas e processadas pelo negócio.

Sem que o intuito do empreendimento seja bem definido, a qualidade do uso de ferramentas de Big Data cai drasticamente. A companhia não será capaz de prever tendências com precisão, encontrar pontos que necessitam de melhoria e demais fatores que podem ser beneficiados por essa tecnologia. Portanto, tenha sempre claro de que forma a análise de dados poderá beneficiar a empresa antes de começar a utilizar métodos baseados nesse conceito.

2. Mantenha uma estratégia abrangente

O plano de ação do Big Data deve ser criado e revisto continuamente. Indo além da definição clara dos objetivos, o negócio também deve planejar como as ferramentas serão utilizadas, se haverá apoio externo de especialistas e de qual local os dados serão coletados.

A fim de ser abrangente e incluir todos os setores, a companhia precisa integrar times e compartilhar informações estratégicas internamente. Isso permite que mais pessoas possam usar os arquivos e o resultado das análises para criar soluções inovadoras e táticas de alto impacto.

O planejamento do Big Data deve incluir rotinas voltadas ao uso das ferramentas disponíveis. Além disso, a empresa precisa desenvolver uma rotina em que registros sejam coletados continuamente, armazenados em segurança e processados com agilidade e precisão. Tudo em um ambiente que garanta a integridade e a confiabilidade dos insights obtidos.

3. Mescle dados externos e internos

O princípio de implementar o Big Data é usar um grande número de informações para análise em um único ambiente. A fim de que a companhia possa ter o máximo custo-benefício por meio dessa estratégia, deve-se ir ao mercado atrás de fontes de dados. Ou seja, com o propósito de ampliar a capacidade dessas soluções, é necessário ir além dos registros internos disponíveis para o negócio.

Criar canais de captura na web, utilizar relatórios de consultorias e outras fontes, ajudam a tornar mais eficaz a rotina de trabalho dos analistas. Isso também ampliará o alcance do Big Data. Se a empresa quiser saber de que modo um novo produto foi recebido pelo mercado, por exemplo, basta consultar a API de uma rede social para obter opiniões e feedbacks. Esses registros podem ser integrados às estratégias de marketing, uma vez que será possível avaliar com precisão como cada item é visto por diferentes perfis de consumidor.

4. Escolhas as ferramentas certas

Além de boas fontes, a empresa também precisa utilizar as ferramentas adequadas. É importante que o negócio consiga integrar soluções relevantes às suas estratégias de Big Data, facilitando o armazenamento e processamento dos registros.

Se o armazenamento for local, por exemplo, é importante que o banco de dados possa salvar as informações com segurança e, ao mesmo tempo, entregar os elementos corretos com agilidade. Se a companhia for utilizar o Big Data integrado à nuvem, também é necessário escolher uma plataforma que tenha alta disponibilidade, seja escalável e possa ser adquirida com um grande retorno sobre o investimento.

Saber escolher recursos que sejam adequados para uma estrutura de Big Data é fundamental. Uma vez bem-definida, a análise de dados será executada com facilidade e precisão.

5. Tenha o apoio de parceiros estratégicos

Muitas vezes um empreendimento enfrenta dificuldades ao investir em uma nova tecnologia por falta de conhecimento técnico. Em diversos casos, o uso de soluções de TI pode ser prejudicado por problemas na hora de integrá-las ao ambiente de trabalho ou avaliar a melhor opção disponível para o empreendimento.

Se esse for o seu caso, uma boa escolha é o apoio de uma empresa especializada no ramo. Nesse contexto, profissionais com uma formação focalizada no uso e nas estratégias para implementar o Big Data serão designados a fim de atuar dentro do ambiente corporativo. Eles serão responsáveis pela definição de rotinas, política de segurança e outros fatores que possam auxiliar no alcance de um retorno maior sobre o investimento.

Será executado um estudo sobre o negócio para definir o uso das soluções de Big Data, de acordo com os objetivos em médio e longo prazo da empresa. Dessa forma, a companhia contratada poderá avaliar as ferramentas ideais e, com isso, atingir o máximo de benefícios com o Big Data.

As técnicas escolhidas estarão alinhadas ao perfil da infraestrutura do empreendimento e às suas normas internas. O negócio fará investimentos com alto resultado agregado, sem que as suas metas sejam ignoradas. Além disso, os relatórios criados estarão alinhados com os principais padrões do mercado.

 

em: Tecnologia

Deixe seu comentário