Entenda o conceito de máquinas virtuais

09/05/2018

O que é uma máquina virtual?

É uma máquina virtualizada em cima de um host físico.

A máquina virtual fica localizada e uma área restrita, separadamente do resto do sistema, o que significa que o software dentro de uma máquina virtual não pode escapar ou manipular o próprio computador. Isso gera um ambiente ideal para teste de outros sistemas operacionais, incluindo ambiente para Dev & Test, para criar backups do sistema operacional e para executar um software ou aplicativo em sistemas operacionais diferentes daqueles para os quais eles foram desenvolvidos.

Diversas máquinas virtuais podem ser executadas simultaneamente no mesmo computador físico. Para servidores, os múltiplos sistemas operacionais são executados lado a lado com uma unidade de software chamada hipervisor para gerenciá-los, enquanto computadores desktop comuns utilizam um sistema operacional para executar todos os outros sistemas operacionais dentro das suas janelas de programa. Cada máquina virtual conta com seu próprio hardware, incluindo CPUs, memória, discos rígidos, adaptadores de rede e outros dispositivos. Então, o hardware virtual é mapeado para o hardware real no computador físico, o que economiza custos ao reduzir a necessidade de sistemas de hardware físico, juntamente com os custos de manutenção associados, além de reduzir a demanda de energia e refrigeração.

Você sabia que o Azure tem uma variedade de VMs (máquinas virtuais) para todas as necessidades de aplicativo?

Série A

VMs econômicas de nível de entrada para desenvolvimento e teste

As VMs de série A tem configurações de memória e de desempenho de CPU melhor adequadas para cargas de trabalho de nível de entrada, como desenvolvimento e teste. Elas são econômicas e fornecem uma opção de baixo custo para começar com o Azure.

Série D

Computação para fins gerais

As VMs da série D contêm SSDs (unidades de estado sólido), CPUs rápidas e configuração excelente de CPU para memória, tornando-as adequadas para a maioria dos aplicativos com propósitos gerais. Um subconjunto das VMs da série D também têm uma memória por CPU maior, tornando-as adequado para aplicativos que precisam de quantidades maiores de memória.

Série Dv2 — computação para fins gerais de última geração

As instâncias da série Dv2 são a geração mais recente de instâncias de série D que terão CPUs mais potentes, que estão, em média, 35% mais rápidas que as instâncias da série D e terão as mesmas configurações de memória e disco que a série D. As instâncias da série Dv2 baseiam-se no processador de última geração Intel Xeon® E5-2673 v3 (Haswell) de 2,4 GHz, e com a Intel Turbo Boost Technology 2.0, é possível obter 3,2 GHz. A versão DSv2 do Dv2 é compatível com o armazenamento Premium.

Série E

Otimizada para aplicativos hyper-threaded na memória

A família da série E de máquinas virtuais do Azure é otimizada para aplicativos pesados na memória, como o SAP HANA. Essas VMs são configuradas com altos índices de memória/núcleo, o que as torna ideais para servidores de banco de dados relacionais, com caches de médio a grande e análise na memória. As VMs da série E variam de 2 a 64 vCPUs e de 16 a 432 GiB RAM, respectivamente.

Série F

Computar máquinas virtuais otimizadas

Tamanhos de VM da série F têm uma taxa de CPU para memória mais alta. Elas têm 2 GB de RAM e 16 GB de SSD (unidade de estado sólido) local por núcleo da CPU e são otimizadas para computar cargas de trabalho intensas. O F-series é baseado no processador 2.4 GHz Intel Xeon® E5-2673 v3 (Haswell), que pode obter velocidades de relógio tão altas quanto 3.1 GHz com o Intel Turbo Boost Technology 2.0.

Série G

Máquinas virtuais otimizadas de armazenamento e memória

As VMs da série G contêm a  família de processadores Intel® Xeon® E5 v3 mais recente, com duas vezes mais memória e quatro vezes mais armazenamento de SSD (unidade de estado sólido) do que a Série D para fins gerais. A série G tem RAM de até ½ TB e 32 núcleos de CPU e fornece desempenho computacional inigualável, armazenamento SSD local e de memória para seus aplicativos mais exigentes.

Série H

Máquinas virtuais de alto desempenho

A família da série H é a última geração de VMs de computação de alto desempenho. Ela é ideal para necessidades de computação de alto nível, como modelagem molecular, dinâmica de fluido computacional e similares. Essas VMs são desenvolvidas em tecnologia de processador Intel Haswell, especificamente tamanhos de VM com processadores E5-2667 V3 com oito e 16 núcleos, ambos com memória DDR4 e armazenamento baseado em SSD local. A linha de série H oferece, além de potência de CPU considerável, diversas opções para RDMA e rede com capacidade para baixa latência usando InfiniBand junto a várias configurações de memória para dar suporte a requisitos computacionais com uso intensivo de memória.

Série L

Armazenar máquinas virtuais otimizadas

A família da série L de máquinas virtuais do Azure são VMs com armazenamento otimizado. Elas são ideais para aplicativos que exigem baixa latência, alta taxa de transferência e um amplo armazenamento em disco local. Essas VMs são desenvolvidas com tecnologia de processador Intel Haswell, especificamente processadores E5 Xeon v3 com tamanhos de VM com quatro, oito, 16 e 32 núcleos. A série L dá suporte a até 6 TB de SSD local e oferece desempenho de E/S de armazenamento inigualável.

Série M

As maiores máquinas virtuais otimizadas para memória

A família da série M de máquinas virtuais do Azure abrange as VMs mais otimizadas para memória até o momento. Essas VMs são ideais para cargas de trabalho pesadas na memória, como SAP HANA. A série M oferece os maiores recursos de memória disponíveis, começando com 1 TiB de RAM uma única VM. Além disso, essas VMs oferecem a maior contagem de CPU virtual de até 128 vCPUs em uma única VM para habilitar o processamento paralelo de alto desempenho.

Série N

Máquinas virtuais habilitadas para GPU

A série N é uma família de Máquinas Virtuais do Azure com capacidades de GPU. GPUs são ideais para cargas de trabalho com uso intensivo de gráficos e computação, ajudando os clientes a estimular a inovação por meio de cenários como visualização remota de alto nível, aprendizado aprofundado e análise preditiva. Disponível para visualização hoje, a série N apresentará a plataforma acelerada da Tesla de NVIDIA, bem como tecnologia NVIDIA GRID 2.0, fornecendo o suporte gráfico de mais alto nível disponível na nuvem hoje. Uma das VMs da série N tem uma segunda latência baixa e adaptador de rede de alta taxa de transferência (RDMA), que está ajustada para cargas de trabalho de computação paralela firmemente acopladas.

Máquinas virtuais no Azure são bem parecidas com o modelo já existente na maioria das empresas.
O grande desafio, está na hora de dimensionar corretamente a máquina, permitindo assim que seu cliente economize. Quer saber como inserir as máquinas virtuais no seu ambiente? Entre em contato com a nossa equipe.

Referência: https://azure.microsoft.com/pt-br/

 

em: Tecnologia

Deixe seu comentário